Capitulo 47.

04/11/2010 22:42

...

-Pode me chamar de covarde, mas eu estou com medo de falar com seu pai. -Ele disse rindo e me abraçando.
-Se ele não deixar, fica mais romântico. Agente foge, hehe. -Ele riu de mim.
-Ah! Bem que podia ser mais simples, hoje se manda mensagem pra tudo, seria legal mandar um SMS, legal não, mas bem mais fácil.
-Besteira, meu pai tá nem aí. Nunca esteve... e ele gosta de você. Só vai achar estranho e durante o resto da semana vai achar um jeito de perguntar se eu estou grávida. Fora isso, ele nem vai ficar: OMG! -Fiz caras e bocas.
-Ele tá aí sim. Como eu falo prum pai que eu vou tirar a filha dele de casa? Ainda bem que ele não é mais do exército...
-Tu é muito mole visse? -Brinquei.
-Queria ver se fosse você que tivesse que pedir pra minha mãe pra casar comigo! u-u
-Ow, que drama. Eu tava brincando, own. -Fiquei dando beijinhos nele.

Ficamos por muito tempo juntinhos, agarradinhos e vários inhos. Eu tinha saudade daquilo, saudade de todo o carinho que ele me dava, estava apenas compensando os cinco meses. Foi quando, como sempre, o meu telefone nos interrompeu.

-Alô?
-Vanessa, cadê você? -Taylor estava desesperada.
-Jajá estou aí, são 8:22
-Precisamos de você aqui, agora! -Ouvi Jason dizer "Já avisou a ela? Mande ela ligar pra Starla antes de passar aqui!"
-O que a Starla tem haver com isso?
-Ela cancelou o contrato pra Fasion Week. E o evento é esse fim de semana! Jason quer te matar, ela falou que foi por sua causa! -Sentei-me na cama. Zac estava preocupado pelo nome de Starla estar no meio.
-Então quer dizer que eu posso ser demitida porque aquela maluca cancelou o contrato em cima da hora? -Zac ficou surpreso.
-É. Jason vai cortar sua cabeça se você não conseguir esse contrato.
-Diga a ele pra relaxar, ela que me aguarde.

Desliguei na cara de Taylor mesmo. Levantei e peguei uma roupa mais arrumada, sempre impõe um pouco de moral. Zac ficou em silêncio por um tempo, mas depois começou a esclarecer as coisas fazendo perguntas.

-O que mainha fez?
-Cancelou o contrato do espaço do evento. Agora agente não tem onde fazer o evento a dois dias do mesmo começar!
-Meu Deus! Vou falar com ela, relaxe. -Zac também ficou estressado.
-Não, vou botar um ponto final nessa loucura. Se eu não parar ela agora, agente vai sofrer com isso pro resto da vida. Nem queria briga, mas se ela quer guerra vai ter guerra.
-Amor, se acalme. Não vai adiantar você chegar lá gritando com ela, né. -Ele foi irônico.
-Eu sei que não, vou ser civilizada, ow. -Eu sorri.
-Faltou o: "Eu não sou sua mãe" -Ele afinou a voz. Rimos juntos.

Ele me deixou na Hidden Art e foi pra casa de Scott fazer sabe lá Deus o que. Ela já esperava minha visita, pois quando cheguei na recepção, Sandra avisou-me que ela me esperava. Entrei em sua sala e ela pediu para que eu sentasse, como uma mulher pode ser tao sinica?

-Bom dia, Vanessa. Em que posso ajudar? -Com ar de vencedora.
-Quanto você quer pra começar a assumir seus compromissos e re-assinar o contrato com a Popula?
-Que proposta mais indecente e agressiva. Jason precisa lhe ensinar mais a parte de negociação.
-Não precisa, não. Ele sabe que eu aprendi a domar bicho. Quanto você quer? -Nossa conversa era muito mais de olhares.
-Você acha que com insultos vai conseguir seu contrato?
-E acho também que você não quer passar o fim da sua vida afastada do seu filhinho precioso. -Ela se assustou menos do que eu esperava.
-E você acha mesmo que ele vai fazer isso? Pelo visto não o conhece.
-Não achava, mas depois de ele ignorar todas as suas vontades e me pedir em casamento, creio que haja uma boa possibilidade, não? -Fui irônica, e finalmente começamos a falar sério.
-Ok, agora eu que pergunto: quanto você quer?
-Starla, não misture trabalho com família porque comigo não cola. Eu separo os dois muito bem, e podia até te enganar, mas sou honesta. Trabalho é o que eu vim discutir, e se trata do contrato que você tem com a Popula para a Fashion Week, da qual eu sou representante. Família é o seu filho, e futuramente o nosso casamento, e disso eu não abro mão por dinheiro nenhum.
-Então eu acho que a Popula vai ter que arranjar outro espaço para realizar a Fashion Week.
-Tudo bem, e você passe a se contentar apenas com o Dylan. -Sorri.
-Não disse que não misturava? Agora minha norinha é hipócrita, hm. -Ela riu com superioridade.
-Eu não sou manipuladora, não vou afastar ele de você. Mas eu tenho certeza, que ele vai se afastar sozinho. Tenha um bom dia.

Me levantei e senti meu joelho tremer. Ia ser demitida por causa daquela bruxa. Fechei a porta ainda com o fio de esperança de que ela repensasse e me desse o contrato. Nada feito. Liguei pra Zac e enquanto isso esperei na sala de Ash.

-Awn amiga, vou ser demitida porque vou casar! -Deitei o rosto na mesa dela.
-Como assim? A Popula não aceita pessoas casadas não? Oo
-Aceita, mas a Starla cancelou o contrato com a Popula porcausa disso. Jason falou que se eu não conseguisse, eu já era.
-Cancelou o contrato?
-É. E ainda me barganhou pra eu não casar com ele! Acredita?
-Isso eu já esperava, mas... Se ela cancelou o contrato, porque não cancelou com o resto do pessoal? Tá o povo todinho arrumando as coisas oO
-Ã? -Levantei o rosto da mesa.

Fui ver o salão e realmente, as atividades não pararam. Liguei pra Jason e fiquei sabendo que Starla havia ligado, refeito o contrato e diminuido em 10% o valor total, devido a falta de compromisso. Ele falou que esses 10% iriam entrar no MEU salário. Quando desliguei eu não sabia se gritava ou se chorava. Eu agradeci tanto a Deus, mais tanto, tanto! Tenho certeza que foi Ele pra derreter aquele coração de pedra congelada dela! Quando Zac chegou, além de ele me elogiar e tal ainda ficou com uma imagem melhor da mãe. Acho que eu vou me entender muito bem com Starla, depois dessa, é daí pra melhor!
Fomos para o Paty's almoçar, e parecia que as pessoas viam corações em volta da gente porque todo mundo tratava bem demais, sorrindo. Isso é estranho num restaurante em pleno pique.

-Eu ia ligar pro meu pai se ela não tivesse cedido..
-Ela tem um bom coração, e ainda vou ganhar os 10% que ela abaxou do valor, no MEU salário! Ajuda bastante pro nosso casamento! -Sorrimos e nos beijamos.
-É bom saber que você tá levando realmente a sério -Ele sorriu e me beijou de novo.
-Claro que estou, por acaso você não está?
-Se não estivesse não teria passado a manhã ensaiando como ia falar com seu pai. u-u -Eu não me aguentei. Ri até não poder mais. -Para de rir, é sério amor! -Aquilo me fez fluturar: amor.
-Ai, que lindo! Fala de novo -Ainda sorrindo.
-Falar de novo o que, amor? Tá doida?
-AAAAAAAAWN QUE FOFO *-*
-Cê tá bem? oO
-É que é muito bom ouvir você me chamar de amor, tava com saudade disso também $:
-AAAAH, agora eu entendi. $: De agora em diante vou te chamar de amor pra sempre, viu amor? -Nós dois rimos demais.

Eu tinha saudade desses almoços que eram tão simples mas tão divertidos. Eu adorava passar o meu tempo com ele, e quando não passava, tentava ao menos pensar nele. Eram momentos bonitos, românticos e perfeitos.
Naquela tarde fui recebida com aplausos pela equipe da Popula e a tarde foi de folga pra todo mundo quando disse que ia casar! Fomos todos para um barzinho proximo, tudo pago por JASON! Pois é, agora ele me idolatrava. Foi só eu dizer que Starla era minha sogra que ele fez proposta de pagar tudo. Gente interesseira sempre tem carteira, é.

-Um brinde ao casamento né, tem que comemorar com Champanhe! -Ele pediu ao garçom.
-Eita, que o negócio tá chique mesmo! -Disse.
-Depois de uma reviravolta dessa, você merece. -Ele disse com um sorriso enoooorme.
-E o noivo? -Taylor perguntou.
-Tá no teatro, ou saindo dele. -Disse olhando o relógio. Estávamos ali há muito tempo já.
-Então chama ele pra cá, poxa! -Mary, a secretária de Jason disse.
-Não minha gente, o coitado deve estar cansado... -Disse preocupada com o que ele iria dormir.
-Ah, chama Vanessa! Agente quer conhecer o felizardo! -Jason disse, e eu resolvi aceitar né.
-Então tá, vou ligar. -Peguei o celular e disquei o numero.
-Não, só vale se for auto-falante! -Taylor insinuou e logo fui "obrigada" a pôr.
-Raio do sol que vai fazer amanhã. -Zac atendeu, com voz cansada. As meninas da mesa fizeram cara de: OOOOOOOOOOOOOWN *-*
-Meu amor, você nem acredita o que eu fiz a tarde inteira!
-O que? -Ele falou como se tivesse amarrando o sapato.
-Fiquei no bar, perto da Popula, comemorando nosso casamento! Jason se dispos com sua boa vontade constante! -Ele riu.
-Danousse, nem me convidasse pra festinha, amor? Afinal é o NOSSO casamento. -Ele riu.
-Liguei pra isso, ta todo mundo pedindo pra você dar uma passadinha aqui. Na verdade eles estão ouvindo tudo, hehe. -Eu estava dando glória que ele não falou nenhuma besteira, glória mesmo.
-Hmm, então olá pra todo mundo, hehe. Tô saindo do teatro agora, vou sujo mesmo porque se eu parar em casa, não saio mais.
-É meu podrinho lindo, né? -Ri e ele também. -Estou lhe esperando. Te amo, lindo. $:
-Também lhe amo, meu amor. -Ele mandou um beijo no telefone e eu me derreti.

Quando ele chegou foi a maior festa, os homens deram parabéns pra ele, mas as mulheres... quando viram aquele rosto emoldurado com meu sorriso preferido deram parabéns a mim. Ele relutou quando viu Chace na mesa, e as fofoqueiras perceberam o clima no ar. Mas nada que um ótimo ator como ele não disfarçasse.
A tarde-noite foi divertida, muitos sorrisos e diversão, refletia a fase da vida que eu estava comendo pelas bordas e a pouco de saborear por inteira! Me sentia abençoada. Deus havia me dado um homem maravilhoso, e só agora me dava conta de fato disso. Ele era uma dádiva divina, e finalmente agora eu estava desfrutando disso com mais intensidade, sinceridade e principalmente com mais amor. E como Deus é amor, sentia que nosso relacionamento não era a dois, era a três.

-Hoje a tarde, antes de ir pro teatro eu tava abusando dos talentos do Scott, fiz ele sair do trabalho pra me ajudar com o nosso casamento. -Ele disse com o braço por cima do meu ombro enquanto passeávamos pelo shopping.
-Ajudar com nosso casamento? O Scott tá mais prestativo do que eu pensava. -Rimos juntos. -Mas o que foram ver?
-Nosso futuro apartamento. -Eu sorri, deslumbrada. Scott havia feito Arquitetura, e era ótimo no que fazia.
-Os preços estão legais? -Falei com medo, afinal apesar de eu ter meus sonhos, tinha que caber no nosso bolso.
-Eu esperava piores. -Adeus vista para o Big Ben.
-Agente pode comprar uma coisinha menor, só pra gente. Sei lá, um kit net. Porque ainda tem a festa... Aí depois agente pode pensar numa coisa maior, quando agente aumentar a família. -Coloquei meus braços em volta da nuca dele e nos beijamos na frente de uma loja infantil.
-Mas você merece mais... -Ele disse me olhando com carinho.
-Eu não mereço nem um pouco a mais do que você pode me dar. E você já me deu demais, não acha? -Nossos olhos se conectavam. Ele entendeu do que eu estava falando: do perdão.
-Era o mínimo que eu podia fazer. -Ele sabia que não era verdade.
-Não seja bobo, nós dois sabemos que foi o máximo. -Nos beijamos mais uma vez.

Ficamos até o shopping fechar. Vimos algumas coisas pra quarto e alguns móveis. Tudo uma facada no bolso. Mas nos dava uma idéia de como fazer e montar tudo. Quando saímos do shopping, percebi que ele estava nervoso, pensativo. Era ridículo, mas ele estava realmente nervoso em ter que falar com meu pai.

-Amor, o que foi? -Disse passando o braço por seu ombro e alisando-o.
-Você vai ficar rindo de mim... -Ele falou ainda pensativo.
-Meu pai não vai te morder, eu não deixo. -Sorri e dei-lhe um beijo na bochecha.
-Mesmo assim, é bom que ele esteja com sono e não pense muito sobre o assunto. -Dessa vez ele riu. Entramos no carro.
-Relaxe, estamos juntos nessa. E... qualquer coisa minha mãe dá uma ajudinha.
-Tá vendo, já tá pensando no Plano B, isso não é bom sinal. -Ligou o carro.
-Ai, amor. Nem começa --'

Entramos em casa em um momento raro, parecia que tudo estava colaborando para que todos soubessem do casamento ao mesmo tempo. Meu pai estava lendo jornal no sofá e minha mãe estava com Stella na cozinha, todo mundo junto. Estranharam logo de cara, porque Zac entrou e ficou no meu lado, a cena era como se fôssemos dar um aviso e isso deixou minha mãe em pânico.

-Oi filha, oi Zac. -Pela voz dela, pude ler seu pensamento, e sua prece a Deus: "Que ela não esteja grávida, que ela não esteja grávida"
-Oi, dona Gina. -Ele transpirava nervosismo.
-Querem comer alguma coisa? -Minha mãe estava curiosíssima, enquanto meu pai não tirava o olho do jornal.
-Não, mãe, agente jantou. Na verdade o Zac veio falar com PAINHÔ! -Meu pai virou e achou estranho também.
-Comigo? -Meu pai levantou e Zac quase que dá um passo pra tráz. Tive que prender o riso.
-É. -Ele falou meio sem graça.
-Então pode falar, rapaz. -Meu pai se aproximou e prestou atenção.

Foi cômico. Meu pai estava pensando a mesma coisa da minha mãe, e por isso estava irritado. Zac estava quase tremendo de medo da reação do meu pai, e eu estava prendendo o riso, porque se não estraga né!

-Bom... primeiro eu queria que o senhor soubesse que eu realmente amo sua filha, e pensei bastante antes de tomar essa decisão. Ok, comecei errado, muitos já devem ter dito que amam ela e tal, mas eu asseguro que o que eu sinto é diferente e grande o suficiente pra me fazer vir aqui e pedir a mão dela em casamento. -Nossa, nem eu acreditei que ele falaria tão seguro assim. Minha mãe colocou a mãe na boca. Eu fiquei com vontade de rir, mais uma vez.

Momento tensão. Eu apertei a mão dele, fiquei nervosa também. Meu pai olhava pra mim e pra ele, depois tranferia o olhar pra minha mãe que estava com os olhos cheios de lágrimas. Depois ele me encarou, e dirigiu a palavra a mim.

-É ele que você quer pra dividir o seu "Felizes para Sempre"?

Fiquei chocada com a pergunta e pelo jeito que ela tinha sido feita. Nunca fui muito liagada ao meu pai, ele nunca demostrava muito afeto por mim, era sempre muito superficial apesar de eu saber que ele me amava. Mas o jeito com que ele falou a frase, parecia que estava prestes a dar o que ele tinha de mais precioso pra outra pessoa.

-Sim, pai. Eu quero passar todos os meus dias com ele. -Disse emocionada com a emoção do meu pai.
-Você já tem sua resposta, rapaz. -Zac relaxou. Os dois sorriram e se cumprimentaram.

Zac e eu nos beijamos e depois nos abraçamos. Troquei um olhar profundo com meu pai enquanto fazia isso, vi pela primeira vez meu pai derramar uma lágrima. Ele sorriu enquanto fazia isso, não pude me emocionar de novo. Depois de minha mãe dar dez mil recomendações pra Zac e babar ele bem muito, ele foi embora. Ah, teve a história do "Só mais um" que no final somam dez beijos e quase fica sem fim. Minha mãe quase me esmagou quando fechei a porta.

-Awn, nem acredito que o meu bebê vai casar! -Ela chorava oO
-Mãe, eu não sou tão bebê assim. Tenho quase 25 anos. -Eu sorri.
-Mas vai sempre ser o meu bebê! -Ela me esmagou mais um pouco.
-Posso conversar com você? -Meu pai falou, pensativo.
-Uhum, pode falar.
-No escritório.

Fiquei um pouco receosa. Mas aos poucos fui relaxando porque senti o clima tão leve. Mesmo assim não parei de orar, afinal nunca se sabe.

-Fala, pai. -Disse tentando descontrair, né.
-Não sei se você sabe, mas casamento é uma coisa séria. É um por vida. Não vou dar sua mão pra mais de uma pessoa, entende? Por isso quero que você escolha bem, pois é uma escolha eterna. Não estou dizendo que o Zac não é uma boa pessoa, porque ele já provou dez bilhões de vezes que é centrado, tem um ótimo caráter e tudo, por isso não me oponho nem nunca me opus a relação de vocês, mas... Ele realmente é o cara certo pra você? Como nunca conversei com você sobre isso, queria saber sinceramente se você já pensou nisso. -Nunca vi meu pai falar daquele jeito.
-Já pensei, eu tenho noção do quão importante é essa decisão e realmente não tem mais opções: é ele.
-Tudo bem, então. -Ele deu uma pausa e eu esperei. Ele riu antes de falar, com os olhos cheios de lágrimas. -Não foi fácil segurar essas lágrimas quando vi que o que eu tenho de mais precioso eu ia ter que dar pra outro cara. Queria dizer o quanto eu te amo, apesar de você achar que já sabe. -Eu ri, com lágrimas começando a descer. -Eu me lembro que achava você parecida como um anjo envolvida num rosa suave, você envolveu meu coração em volta dos seus dedos desde o dia em que você nasceu. Quando você fazia besteiras aquele sorrisinho torto derretia meu coração de pedra. Agora, olhe pra você, eu me viro e está quase adulta! -Eu não podia imaginar meu pai falando aquilo. -Ás vezes, quando você está dormindo eu sussurro "eu te amo" sob a sua porta. E sinto falta de quando eu saía de manhã e você dizia: "Papai, te amo mais!" -Não contive o rio de lágrimas. -Eu sabia que algum dia um rapaz ia vir pedir sua mão, sabia que ele diria que está apaixonado, mas nunca pensei que existisse alguém que pudesse te merecer, porque simplesmente você é boa demais pra qualquer homem. E eu só disse sim pra ele, porque eu vi nos seus olhos que ele é a metade que te completa, tem a alma de um poeta e o coração de um verdadeiro homem. -Sorrimos mutuamente, com as lágrimas varrendo nossos rostos. -Você sempre foi um lindo bebê de dentro pra fora, persiga seus sonhos mas sempre saiba a estrada que te traz de volta pra casa. Encare esse mundo todo, construa sua própria família, mas sabia que você sempre será minha garotinha.

Nos abraçamos nas lágrimas. Ele beijou meu rosto e me abraçou forte, com afeto, com carinho, com o amor que eu jamais senti tão forte vindo do meu pai. Foi a lembrança mais linda que eu guardei dele. Talvez a única boa o suficiente para ser memorizada, mas ao menos existiu uma. O tempo congelou naquele momento. Eu sempre fui um diamante pro meu pai, só que enfim, acabava de descobrir. Existem coisas que agente pensa que não faz falta, mas faz. Eu estava saudosa de um "eu te amo" do meu pai, mas já me acostumara com a situação, com o passar dos anos. Saber é pensar, sentir é amar.

--x--

Espero que tenham gostado. $: Bom, me desculpem a demora. Quem acompanha o Twitter @rutecmuniz sabe que eu estive sem intenet por um tempo, mas isso já se resolveu. E quem lê todas as abas do site, sabe que dia 11 de Novembro, o Smark está fazendo UM ANO. Pois é, já faz um ano. Passa rápido né? Então, twitteiras quero que vocês dia 11 usem a tag #Happy1stBdaySmark certo? :D Obrigada $: E quem quiser mandar alguma homenagem, ou alguma coisa carinhosa para o blog, estarei recebendo qualquer coisa: texto, foto, gif, vídeo... Enfim, se alguém mandar farei um post com as homenagens de vocês, se não, apenas um texto meu e um banner novo, pois estou realmente muito corrida em relação a tempo.
Outra coisa, irei fazer uma cirurgia na terça-feira (09/11) e queria pedir a oração de vocês pra que tudo dê certo. É uma besterinha, mas estou com medo :x

+Divulgação

-> http://palavrasjust.blogspot.com
-> http://picturesay.tumblr.com
-> http://twitter.com/rutecmuniz
-> http://zacbrasil.com
-> http://hudgensbrasil.com

Beijos <3

 

—————

Voltar